sábado, 24 de janeiro de 2009

A ETERNIDADE DA CRUZ!

Raramente fazemos algo que a curto, médio ou longo prazo não tenha que ser revisto, retificado, aperfeiçoado, anulado, negado, deletado, enfim. Até mesmo algumas obras de Deus precisarão ser corrigidas no futuro. O homem (1Co 15:53; Ef 4:13; Hb 12:23) e a natureza (Rm 8:22; Ap 21:1) são dois exemplo, obviamente não por culpa do Criador (Ec 7:29). Mas a obra da cruz não, ela é mais que perfeita, ontem, hoje e eternamente, a cruz é eterna!.

Não estou dizendo que no céu existe uma cruz, um relicário como a moda corrente da Idade Média, mas, que por onde quer que se vá à Nova Jerusalém, a mensagem da cruz está sempre presente, que ela é sempre lembrada. João, o apóstolo que nos deu a mais ampla e completa revelação do futuro, toda a sua visão apocalíptica está impregnada pela idéia de cruz, pela figura emblemática de um cordeiro, o mesmo que foi morto desde a fundação do mundo (Ap 13:8), e o mesmo que o Batista viu nas margens do Jordão (Jo 1:29). Vejamos:
  • Primeiramente João viu o Cristo como um Cordeiro, com as feridas da cruz, como tendo sido morto (Ap 5:6);
  • Os seres espirituais que habitam a eternidade, reverenciam o Cordeiro e fazem menção ao sacrifício da cruz (Ap 5:8,12);
  • Os salvos, por cantarem ao Cordeiro, também obrigatoriamente sempre se lembrarão da cruz (Ap 7:9, 13:8);
  • O próprio Deus lembra-se do sacrifício da cruz, citando o sangue imaculado do Cordeiro derramado no madeiro (Ap 7:14; 12:11);
  • O hino nacional da Cidade Santa, é o “cântico do Cordeiro” (AP 15:3). Algo como o famoso “Rude cruz” dos hinários evangélicos;
  • Mesmo a guerra das guerras, é contra o Cordeiro (Ap 17:14). Interessante não ser contra a figura de um leão ou de um rei. Isso porque o Diabo acima de tudo, ele odeia a cruz de Cristo (Mc 8:33);
  • Algo também interessante, é que a grande festa que acontecerá na eternidade, não é mencionada como sendo as “bodas do Leão da Tribo de Judá”, nem como "bodas do Noivo”, nem como as “bodas do Rei do Reis”; mas como as “bodas do Cordeiro” (Ap 19:7,9). E como já vimos, “Cordeiro” lembra a cruz, e é isso mesmo que o Senhor quer, que neste grande dia de festa, os presentes lembre-se da cruz de Cristo;
  • Veja, até os fundamentos da cidade celestial lembram a cruz (Ap 21:14), pois é citado como sendo formados pelos “apóstolos do Cordeiro”, e não simplesmente “os apóstolos de Jesus”, o que seria até mais natural;
  • A própria iluminação da cidade, é feita pelo Cordeiro. Ele é a lâmpada da cidade, ou seja, estará sempre em destaque (Ap 21:23);
  • Por fim, a Carta Magna do Céu, é o “livro do Cordeiro” (Ap 21:27). Ou seja, qualquer dúvida, a “cruz” é consultada.
Acertadamente Billy Graham disse que Deus colocou uma cruz na porta do inferno, e só entrará naquele lugar desprezível aqueles que desprezarem conscientemente e mensagem da cruz. Particularmente acredito assim também! O céu estará cheio e o inferno vazio (quase). Glória a Deus!

Por isso, amado irmão, nunca perca de vista a cruz de Cristo, nela, conforme disse o apóstolo Pedro, fomos remidos pelo sangue do Cordeiro imaculado e incontaminado! Esse é o nosso penhor: “E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro...” (AP 12:11)

2 comentários:

Dovaniano disse...

Cruz de Cristo. Mensagem central, plena e absolutamente necessária!!!

E deve ser, sempre a principal mensagem em nossas igrejas! Deveríamos aprender a respeitá-la como o Apóstolo Paulo a respeitava:

"Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo" - Gl 6:14

"Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado" - 1Co 2:2

A Paz do Senhor!

JAMIERSON OLIVEIRA disse...

MANO, vc tem toda razão! Paulo sabia do valor da cruz, o que fica patente nesse texto muito bem citato por vc.