domingo, 13 de abril de 2008

O ISLÃ E OS JOVENS POBRES DE SP

Em cada palestra que ministro sobre os desafios da igreja evangélica brasileira, eu menciono que devemos prestar atenção ao crescimento do islamismo entre as classes mais pobres das nossas cidades. Falo isso com conhecimento de causa, uma vez que em Jundiaí (SP) onde moro, há uma grande mesquita que a muito tempo distribui cestas básicas nas favelas, onde dentro delas é colocado um exemplar do Corão.
Agora o assunto foi pauta da edição desse domingo (13/04/2008) do ESTAÇÃO, que entrevistou alguns jovens convertidos ao islamismo, entre eles ex-rapper Honeré Al-Amin Oadq agora membro do Centro de Divulgação do Islã para a América Latina em S. B. do Campo (SP). Segundo minhas próprias pesquisas, que vieram a se confirmar com essa reportagem, essa influência muçulmana tem se dado mais entre jovens pobres e negros. Na foto aqui colocada, vemos o evento promovido pelo NDIB (Núcleo de Desenvolvimento Islâmico Brasileiro) onde reuniram líderes com grande influência entre os jovens das periferias como os rappers Mano Brown dos Racionais MC’S e Sharif Shabazz, um dos quatro membros muçulmanos do grupo rap Denigri. "Em média, 40 brasileiros por mês se convertem ao islã em São Paulo", disse o xeque Jihad Hammadeh numa entrevista ao jornal Folha de S.Paulo.

Será que está acontecendo no Brasil o mesmo que acontece nos bairros pobres e de maioria negra dos EUA e França, onde milhares de jovens estão optando pelo islamismo? Será que o fenômeno observado nas últimas décadas, da forte influência evangélica nas periferias está mudando?

A cerca de 15 anos ouvi de um xeque que entrevistei, que o alvo do islamismo no Brasil não era a população adulta, católica ou evangélica, na sua grande maioria; mas sim os jovens, as crianças, essas sim entenderiam melhor a proposta do islã. Certamente o Brasil não será 100% evangélico, como nenhum país do mundo, mas continuará sendo a missão da igreja, fazer Jesus conhecido de todos os brasileiros. Com grande respeito e tolerando as diversidades religiosas do nosso país, nossa tarefa suprema não pode ser relevada.

Que Deus nos ajude!

7 comentários:

Esperante disse...

Sem dúvida este fato serve de reflexão para nós. O que atraiu esses jovens para o islamismo? O que os repele no cristianismo evengélico?
Uma dica para quem quer estudar essa relação Islamismo-Cristianismo
A PRÓXIMA CRISTANDADE - PHILIP JENKINS - EDITORA RECORD

Eduardo disse...

É verdade!Isso me faz pensar que não podemos sair para outros países e esquecermos o nosso próprio Brasil.
Imaginem nossas periferias islamizadas?

[C.R.I.S] disse...

Com certeza, um motivo de preocupação para nós cristãos brasileiros. Na verdade, penso que o povo em geral possui um grande vazio no que diz respeito a conhecer mais sobre Deus. A suprema tarefa de apresentar Deus a estas pessoas está nas mãos da igreja. Porém, a realidade mostrada por este post mostra que estamos falhando com indivíduos cristãos e como igreja. A adoração a deuses falsos está tomando o lugar do Deus verdadeiro em nosso país, pois nós estamos nos preocupando com outras coisas que não têm nada a ver com aquilo que Jesus quer que realmente nos preocupemos. A maior parte do dinheiro arrecadado em suas congregações é investido em quê? Coisas materiais ou pessoas?

B. Farias disse...

Trabalho com muçulmanos na África e ja falei sobre o islamismo e como tem crescido no nosso País e a igreja não está percebendo. Deus continue abençoando seu trabalho missionário.

Paulo Junior disse...

Caro Miss. Jamierson,
São fatos como esses que nos faz refletir cada dia mais em nossa juventude, que por falar nisso as vezes ficam esquecidos nas própias igrejas.
Acho que está na hora de olharem com mais carinho para os nossos jovens...

Julio Severo disse...

O Islã radical é realmente um grande perigo. Basta olhar o vídeo "Fitna" para se comprovar essa verdade. Quem ainda não viu esse vídeo chocante é só clicar neste link: http://www.fitnabrasil.blogspot.com/

Anônimo disse...

Por que nao:)